Seguro Cibernético uma ferramenta indispensável para mitigar os riscos cibernéticos.

Seguro Cibernético uma ferramenta indispensável para mitigar os riscos cibernéticos.

Brasil é o país da América Latina que mais sofre com os crimes cibernéticos.

 

O que é o seguro de riscos cibernéticos?

O Seguro de Riscos Cibernéticos é um seguro que tem por finalidade proteger o segurado das perdas financeiras causadas por perda e ou violão de dados, além de proteger contra as reclamações de terceiros e possuir um atendimento emergencial que ajuda no tempo de resposta ao incidente.

Como surgiu o Seguro Cibernético?

O seguro cibernético surgiu na década de 90 com a finalidade de proteger das reclamações de terceiros. A preocupação nessa época era de uma empresa infectada com um vírus repassasse para seu cliente, com isso, poderia afeta-lo  e consequentemente a reclamação aconteceria.

Com o avanço da globalização tecnológica, houve a necessidade rever as coberturas, sendo que, em 2000 o seguro começou a ser redesenhado pela Lyord’s of London uma referência mundial em resseguros, onde passaram a incluir as coberturas para a primeira parte, ou seja, as coberturas para o segurado, é isso mesmo o segurado.

Esse é um seguro diferente dos seguros tradicionais de responsabilidade civil que cobrem apenas reclamações de terceiros, ele também possui coberturas que ajudam o segurado a se recuperar de um ataque.

No Brasil ainda é um seguro recente, começou a ganhar força após o Wannacry que ocorreu em Maio de 2017, um ataque em massa que atingiu milhares de empresa no mundo, e continuou crescendo após a sanção da Lei Geral de Proteção de Dados sancionada em 2018 pelo presidente Michel Temer. 

Quais são as coberturas e benefícios do seguro cibernético?

O Seguro de riscos cibernéticos possui uma amplitude de coberturas tanto para a primeira parte quanto para a terceira parte que são as reclamações de terceiros.

– Coberturas para o segurado (1º Parte)

As coberturas da primeira parte são voltadas para o segurado, ou seja, das despesas que ele tiver para reestabelecer sua operação após um ataque. Vamos dar o exemplo de um ataque Ransomware que é um malware que vem afetando todas as empresas. 

Esse tipo de ataque o segurado poderá utilizar todas as coberturas da apólice, vejamos.

A empresa terá que contratar um perito para identificar o ocorrido, corrigir as falhas e checar se houve vazamento de dados, poderá ser necessário o pagamento da extorsão em criptomoédas solicitadas pelos criminosos, mesmo com o pagamento, não temos nenhuma garantia de que os dados sequestrados serão devolvidos, se isso ocorrer, há a necessidade de restauração e recuperação dos dados, contratação de empresas de marketing e assessoria de impressa para comunicar o ocorrido para minimizar o impacto na imagem da empresa, sendo que, todo esse processo leva tempo, e as perdas de lucros e despesas operacionais são inevitáveis.

As principais coberturas são:

Despesas com Perito Forence, Restituição de Imagem, Lucro Cessantes, Custo de Restauração e Recuperação de Dados, Extorsão, Comunicação e Monitoramento.

– Coberturas para a reclamações de Terceiros (3º Parte)

Já as coberturas da terceira parte são voltadas para as reclamações de terceiros. Continuando o exemplo acima, imaginamos que o perito identificou um vazamento de dados pessoal e/ou corporativos.

O Segurado tem o dever de comunicar e monitorar os afetados sobre esse vazamento, sendo que, esse terceiro poderá reclamar os danos causados, até mesmo uma investigação administrativa poderá ser aberta e multas poderão ser aplicadas. Se defender será preciso e os gastos com advogados podem ser bem altos, principalmente se houver reclamações em diversas regiões do país.

As principais coberturas são:

Responsabilidade Civil Cibernética, Custo de Defesa, Investigação Administrativas, Reclamações PCI – DSS, Dados de Terceiros, Responsabilidade na Mídia, Multas e Penalidades Administrativas.

O seguro também prevê coberturas para a LGPD(Lei Geral de Proteção de dados) GDPR (Lei Geral de Proteção de dados da União Europeia) que são as multas, penalidades e os gastos com as notificações de clientes e monitoramento.

– Serviços adicionais

E por último, que não podemos deixar de lado é o atendimento emergencial que as seguradoras passaram a oferecer nas apólices, um serviço fundamental que ajuda no tempo de resposta ao incidente.

O atendimento é feito 24 horas por empresas parceiras das seguradoras, que essas também oferecem um pacote de serviços após a identificação do incidente, cabe o cliente decidir se irá utilizar esses serviços ou utilizar os serviços  de seus parceiros de sua confiança.

Quanto custa o Seguro Cibernético?

Falar em custo de qualquer tipo de seguro é bem complicado, pois cada risco é um risco e o custo vai depender da gestão de riscos cibernéticos adotada pela empresa. Para isso desenvolvemos uma ferramenta a onde você consegue cotar o seguro online em apenas 1 minuto. Caso queira você pode acessar nossa página clicando aqui e fazer sua cotação online.

Quem pode contratar o seguro cibernético?

Qualquer empresa constituída no Brasil. Para aquelas empresas que possuem unidades no exterior é possível estruturar um programa de seguros para cobrir as empresas no exterior.

Também é possível contratar uma única apólice cobrindo todas as empresas do mesmo grupo econômico.

Como contratar o seguro cibernético?

A contratação é baseada em informações, para isso é necessário o preenchimento de um questionário para que as seguradoras possam conhecer o risco que ela está assumindo. 

Após análise realizada nas informações, as seguradoras precificam o seguro e nós da Seguros Online BR detalhamos todas as informações para que você tome a melhor decisão.

Quanto  mais detalhadas forem as informações melhor é a análise das seguradoras e consequentemente o custo também.

Se a empresa realizou um teste de vulnerabilidade, pen test, enviar esse relatório apontando as falhas e melhorias realizadas na infraestrutura da empresa é muito válido para a seguradora.

Se esses testes nunca foram feitos, é imprescindível que faça um deles, isso ajuda na identificação dos riscos e correções, minimizando as possibilidades de uma invasão.

O que o seguro cibernético não cobre?

Como todo seguro há as exclusões as quais destacamos as principais exclusões do Seguro Cibernético.

  • Falha Mecânica elétrica ou no sistema de telecomunicação;
  • Atos dolosos cometidos por sócios, diretores, membro do conselho;
  • Circunstâncias e reclamações antes do início de vigência da apólice;
  • Softwares Piratas;
  • Responsabilidade Contratual;
  • Uso indevido de dados pessoais;
  • Risco Político, Guerra e Terrorismo;
  • Perda em operações financeiras.

Conclusão

Com os avanços tecnológicos é um seguro que nos dias de hoje deve fazer parte de qualquer empresa, os hackers já não estão para brincadeiras como antigamente, e se proteger é preciso.  Realize uma boa gestão de riscos, conscientize as pessoas que trabalham na empresa e transfira parte dos riscos para uma seguradora.

Para isso estamos prontos para te ajudar a definir a melhor estratégia, fale conosco.

Deixe uma resposta